sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Elefantes

Aquele animal grande, com uma tromba e orelhonas que você conhece: o elefante, pois é esse é só um nome popular dado aos membros da família Elephantidae, um grupo de mamíferos gigantes com quatro patas, uma tromba, duas presas e grandes orelhas no qual existem três espécies no mundo todo e que tiveram descendência dos mamutes hoje extintos. Atualmente o elefante é o maior animal terrestre e chega a pesar 12 toneladas e medindo mais ou menos quatro metros de altura mas as suas características mais definitivas são sua tromba e suas presas de marfim.


Elefantes são animais herbívoros, alimentando-se de ervas, graminhas, frutas e folhas de árvores. Um elefante adulto pode ingerir cerca de setenta a cento e cinquenta kg de comida por dia as fêmeas vivem em manadas de 10 a 15 animais. O período de gestação da fêmea é muito longo mais ou menos 20 a 22 meses, e ofilhote nasce com aproximadamente noventa kg, o período de desenvolvimento do animal até a idade adulta também é muito extenso, quando o animal macho atinge a adolescência costa andar em pequenos grupos, já o macho adulto vive isolado e só se encontra com a fêmea  na época de acasalamento.


sábado, 7 de abril de 2012

Estrelas do mar

          Existem quase 2 mil espécies de estrelas do mar e a maioria delas tem 5 braços simétricos, as cores do corpo variam mas são sempre brilhantes e as vezes até luminescente. O corpo das estrelas é constituído de duas partes: o disco central (onde ficam a boca e o anus) e os braços (onde têm carreiras de pequenos pés tubulares capazes de movimentá-la)
          Um fato estranho sobre as estrelas do mar é algumas espécies tem a capacidade de se regenerar, pois se um braço é arrancado do corpo ele é substituído, enquanto no lugar do braço arrancado, cresce um novo organismo completo.
          Este processo pode ser muito despreocupante pra a própria mas não é muito bom para os criadores de ostra, pois a estrela do mar é um animal que consome a ostra.Até ai tudo bem, mas o problema é que para eliminar uma parte das estrelas os criadores cortavam-as no meio, Mas isso não adiantou muito porque só aumenta o seu número.Quando a estrela é cortada ao meio ela consegue regenerar as duas partes.Então concluímos que fazendo isto você transforma uma estrela em duas.
Este animal carnívoro tem um modo especial de devorar os moluscos que carregam concha. Envolve a vítima com seu corpo e abre a concha com os braços. Então introduz o estômago na concha entreaberta e come a presa.
Quando a refeição acaba, o estomago da estrela do mar se retrai e a concha vazia, completamente limpa, é abandonada.


                            

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Golfinhos

Nome popular: Golfinho comum
Nome Científico: Delphinus delphis
Distribuição geográfica: Estepes cobertas de árvores e de moitas, conhecidas como savanas africanas
Não é peixe: Todo mundo pensa que o golfinho é um peixe, mas não é. Ele é um mamífero, assim como a baleia. Habitat natural: Os oceanos e mares de todo o mundo – perto ou longe dos continentes. No Brasil, pode ser visto ao longo de todo o litoral,do Nordeste ao Rio Grande do Sul
Hábitos alimentares:Come peixes e lulas
Tamanho: De 1,5 a 3,5 metros de comprimento
Peso: Pode pesar até 110 kg
Período de gestação: Dura de 10 a 11 meses.
Filhotes: Nascem com pouco menos de 1 metro e são amamentados por pelo menos 14 meses. A fêmea tem um filhote a cada 2 ou 3 anos
Tempo médio de vida: De 20 a 35 anos
Contra a extinção: A pesca do golfinho é proibida desde 1988
Curiosidades:
Os golfinhos vivem em grupos, que podem chegar a milhares de animais entre os que vivem no oceano. Na costa, é possível ver até 500 golfinhos juntos.
Mergulham até 300 metros de profundidade e podem ficar até 8 minutos embaixo d’água. Mas estes animais dóceis passam a maior parte do tempo, mesmo, na superfície das águas, acompanhando os barcos.
Além desta espécie, há outras 36. É comum que o golfinho comum seja confundido com o golfinho-riscado (Stenella Coeruleoalba).
São ágeis, velozes e acrobatas. Saltam e nadam na proa de embarcações. As vocalizações incluem vários estalos e assobios. Sabe-se que o golfinho-comum pode mergulhar até 280 metros, ficando embaixo d’água por cerca de 8 minutos. Depois ele tem que subir pra respirar.
               

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Quati

Seu nome popular é Quati mas é cientificamente chamado de Nasua nasua Apesar de possuírem hábito alimentar predominantemente frugívoro, há épocas do ano, quando a escassez de frutas é alta, que podem tornar-se carnívoros.
O seu peso é variável entre 3,5 a 6 Kg e na maioria das vezes o macho é maior que a fêmea.
A época reprodutiva dos Quatis corresponde com a época de abundancia de frutas.Um macho adulto pode ser aceito a um grupo de fêmeas se tiver um total respeito e obediência isto é total subordinação a ela.Quando as fêmeas vão dar cria elas se separam do grupo e sobem em árvores para construir seu ninho.
O período de gestação da fêmea é de 10 a 11 semanas isso vária, nascendo de 2 a 7 filhotes pode pesar de 100 a 110 g.
Com 5 semanas o filhote sai do ninho,com 15 meses já se tornam adultos e mais responsáveis e com já 2 anos conseguem a maturidade sexual.
Os quatis pertencem ao grupo dos carnívoros e pertence à família Procyonidae.
Os Quatis vivem em árvores e formam grupos de 4 a 20 integrantes que percorrem as matas a procura de alimentos dos quais são pequenas aves, ovos, insetos, frutas, vermes ou larvas presentes no solo (seu fucinho é flexível exatamente para pegar coisas do chão).
Percorrem cerca de 1,5 a 2 Km a procura de alimento.
Os Quatis são diurnos (isso é gostam do dia) apesar de constantemente os machos fazerem atividades noturnas.
Curiosidades:Um macho com mais de 2 anos, que ainda não faça parte de um grupo, torna-se solitário exceto no período reprodutivo.
Dicas:Um lugar muito legal de encontrar essas comédias é no Parque Nacional do Iguaçu onde é localizada as cataratas um lugar muito interessante eu mesma já fui lá e me encantei com essas gracinhas e com aquele aguaceiro!!!
     

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Cavalo-marinho

cavalo-marinho (Hippocampus) é um peixe ósseo, da família Syngnathidae. Existem 32 espécies diferentes de cavalos-marinhos nos mares de regiões de clima tropical e temperado, em profundidades que variam de 8 a 45 metros. Todas as espécies são consideradas vulneráveis por órgãos de proteção à natureza.

Para nadar, o cavalo-marinho vibra as barbatanas dorsais com velocidade. Nada na posição vertical, e possui uma cauda preênsil com a qual se agarra em plantas marinhas no momento em que se alimentam.O cavalo-marinho possui uma cabeça alongada, muito parecida com a cabeça dos cavalos, inclusive a crina. Sua semelhança com o cavalo deu origem ao nome. O corpo desse pequeno e delicado peixe é coberto por placas em forma de anel. Possuem ainda a barbatana dorsal redonda e minúsculas nadadeiras peitoral e anal. Esse peixe pode medir entre 15 cm e 18 cm.
Assim como os camaleões, os cavalos-marinhos mudam de cor e movimentam seus olhos saltados em diferentes direções, independentes um do outro. O cavalo-marinho é o único peixe que possui a cabeça perpendicular ao corpo
Em todas as fases de sua vida, possui hábitos alimentares carnívoros, alimentando-se de pequenos crustáceos, moluscos e vermes, que são sugados por seu focinho tubular. Só comem alimentos que se movimentam.
A reprodução desse peixe é fora do comum, pois é o macho da espécie que gera os filhotes. A fêmea, no momento da cópula, transfere os ovos de sua bolsa incubadora para dentro da bolsa incubadora do macho. A fecundação é interna, pois ocorre dentro da bolsa incubadora do macho, no momento que ele libera o esperma. Essa bolsa fica na região ventral da cauda. A gestação dura dois meses, geralmente na primavera. No momento do nascimento, os ovos eclodem dentro da bolsa incubadora. O macho se contorce violentamente para expelir os filhotes, em média 500 por gestação.

No Brasil existem duas espécies de cavalo-marinho: Hippocampus erectus e Hippocampus reidi.Os filhotes nascem com menos de 1 cm, transparentes. Apesar de sua fragilidade, já se tornam completamente independentes dos pais ao nascer. A primeira coisa que fazem é subir a superfície para encher as bexigas natatórias de ar, para que tenham equilíbrio ao nadar. Apenas 3% dos filhotes sobrevivem aos predadores naturais.
Curiosidades:Os hippocampus eram seres fictícios da mitologia grega, filhos de Poseidon. A parte superior de seu corpo era a de um cavalo com crina membranosa, guelras e membranas interdigitais nos supostos cascos, e sua parte inferior era de um golfinho. Os Hippocampus eram empregados pelo Deus dos Mares em sua maioria na espionagem e na patrulha por seu reino oceânico em busca de empecilhos que também eram conhecidos como cavalo marinho.
Dicas:Um lugar legal para ver esses bichos tão extraordinários é em pontos de mergulho

                                             

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Mico-leão-dourado

Os predadores naturais dos micos-leões, como as jibóias, os gaviões, as corujas e pequenos felinos, mas eles não ameaçam a integridade das espécies. São os seres humanos que ocupam e destroem o habitat natural o principal inimigo dos micos-leões na natureza. 

Mata Atlânticaúnico habitat dos micos-leões, encontra-se reduzida a cerca de 7% do seu tamanho original. Esta fragmentação acelerada devido ao desmatamento para exploração da madeira, práticas agrícolas e ocupação humana é a principal ameaça à sobrevivência dos micos-leões e de centenas de outras espécies. A fragmentação das áreas em que os micos vivem, reduzem a área de vida dos animais e impedem que eles se movimentem entre as áreas em busca de alimentos e de novas áreas para ocupação. 

caça ilegal para fins comerciais é outro fator que ameaça os micos-leões. Muitos animais são capturados e morrem antes mesmo de serem vendidos. Isto acontece porque os micos são territorialistas e agressivos. Quando colocados junto com micos de outros grupos familiares eles brigam até a morte. 
Em todo o mundo os micos-leões são símbolos da preservação da Mata Atlântica. Muitas pessoas estão envolvidas nas atividades para conservação destas espécies dóceis e carismáticas. Praticamente todas as áreas de ocorrência dos micos-leões foram transformadas em áreas de preservação ambiental e inúmeros esforços têm sido feitos para que as espécies deixem de ser ameaçadas, incluindo, por exemplo, re-introdução de animais nascidos em cativeiro ao ambiente natural. A educação ambiental para as comunidades, especialmente crianças, que vivem próximas às reservas também é essencial para evitar a captura destes animais que são usados como bichos de estimação. 


Narval a baleia unicórnio


O Narval é um Cetáceo (Família da Baleias) que vive no Círculo Polar Ártico e tem como característica incomum um dente extremamente protuberante na arcada superior que faz com que ele adote a forma de um chifre que chega fácilmente a incríveis três metros de comprimento, quase metade do comprimento do próprio animal.
Este chifre é próprio dos machos da espécie, e é ele que faz uma fêmea se interessar em copular, cerca de um em cada 500 bichos destes tem a sorte de nascer com dois chifres, o que faz dele o garanhão de sua turma. Seu chifre é feito de marfin, e pena que ele tem um alto valor comercial, o Narval é vítima da pesca predatória para que seu chifre vire brincos e colares que só podem ser compradas por pessoas mais bem condicionadas. Outra curiosidade sobre seu chifre é que os antigos Nórdicos o usavam para tentar provar a existência dos unicórnios, e acreditavam que possuia propriedades mágica (é provável que não conseguiram, né?…).
Dando uma pesquisada rápida no no site do Seu Tubo descobri um vídeo interessante do Canal  National Geographic que mostra os bichos vivendo em seu habitat natural, para mostrar que eles existem mesmo e que eu não estou mentindo pra você.